Ticun

Intermediário (Intermediário)

Então você estava lendo sobre Cabalá e ouviu falar do seu Tikun (ou “Ticun”, como eu prefiro grafar o termo). E o que é esse bendito ticun?

Literalmente, ticun significa “reparo” ou “conserto”.

Num texto mais avançado falarei do porquê de existir o ticun, mas por ora basta saber que todos nós temos ticunim (pl. de ticun) ou “reparos” a fazer em nossa alma. Além disso, a Cabalá explica que esses reparos que precisamos fazer são o motivo pelo qual nós fomos criados no mundo. Assim, pode-se dizer que foi para isso que nascemos – para realizar o nosso ticun.

É nesse sentido que é possível entender o ticun como uma espécie de “missão pessoal”.

Não missão no sentido do que você escolheu como o mais importante da sua vida, mas missão no sentido de o que sua alma veio fazer e realizar no mundo.

Não é você que escolheu o seu ticun, é o seu ticun que te escolhe.

Yair, como então eu identifico e realizo meu ticun?

A resposta mais chocante é que, talvez, você não precise identificar o seu ticun.

Como assim, Yair? Você não acabou de falar que eu preciso fazer o ticun e só por isso que eu fui criado no mundo?

Calma, eu explico!

Se você estiver fazendo atos de reparo em si ou no mundo, o que importa se esses atos são o seu ticun ou não? Você está reparando e melhorando o mundo, e isso já é muito bom!

Se eu te disser que o seu ticun é A, corre o risco de você ficar obcecado com A, e não fazer nada mais na vida. Por isso, às vezes não saber o seu ticun específico pode ser muito bom, porque você fará vários tipos de consertos, e, inclusive, pode acabar realizando o seu ticun.

Além disso, sendo honestos: quem pode garantir que você (ou alguém) conseguiu identificar o seu ticun corretamente? E se eu disse que seu ticun é B mas, na verdade, é C?

Já pensou passar uma vida fazendo algo por achar que é sua missão e depois descobrir que você estava errado?

É por essas e por outras que ultimamente eu venho questionando cada vez mais a necessidade de “saber meu ticun”. Agora, por outro lado, isso não significa que a Cabalá não tenha métodos ou ferramentas que visam a ajudar a conhecer nosso ticun.

Cito brevemente algumas delas:

Astrologia, Quiromancia (leitura da mão), Fisiognomia (leitura do rosto), Autoanálise, Conversa com um tsadic (uma pessoa com muito conhecimento espiritual e bastante “intuição”).

Ok, entendi, Yair. Então não estou preocupado em saber exatamente meu ticun, mas como eu realizo reparos no mundo?

E a resposta é: basicamente de qualquer modo e como você quiser. Praticamente tudo o que você faz, em qualquer área que for, pode ser considerado um reparo.

Por isso a Cabalá diz que o ticun pode envolver um monte de coisas e sempre pode ser realizado de vários modos. Não há só um jeito único e correto de fazer esses consertos. Toda vez que você age você pode estar corrigindo o mundo.

Veja que eu digo “pode” pois, obviamente, você também pode estar fazendo o oposto, se o seu ato é mais destrutivo do que reparador.

Então, vamos a alguns exemplos.

Vamos supor que você é uma pessoa ciumenta. Você repara que isso está causando problemas a você e às pessoas de quem você gosta, então você começa a tentar controlar o ciúmes e tomar atitudes práticas para melhorar nesse quesito. Parabéns, você começou a realizar um ticun.

Ou, por exemplo, você nasceu numa família particularmente briguenta, e você percebe que a energia de animosidade é muito forte e está causando mais mal do que bem. Você então decide tomar atitudes para promover um pouco mais de paz na sua família. Parabéns novamente, você está agindo diretamente para chegar a esse objetivo e, com isso, já está realizando um ticun.

Para você ter uma ideia de como praticamente qualquer coisa promove um ticun, Isaac Luria – um dos maiores cabalistas que já existiu – ensina que um ticun pode ser realizado até mesmo por exercícios meditativos, de contemplação ou por uma oração feita com bastante devoção. Não vou explorar nesse artigo a lógica por trás disso, mas Luria defendia veementemente essa ideia.

Então apesar de eu ter dito que ao agir você realiza um ticun, repare que nesse ensinamento do Luria fica claro que o ticun pode ser realizado de modo totalmente “internalizado”, dentro de mim mesmo, sem eu mover um dedo sequer.

Se você quer entender mais profundamente a lógica por trás da existência do ticun, busque o meu texto mais avançado sobre o tema – Ticun – Conceitos Avançados.

Mas o importante é perceber que cada vez que eu me empenho em melhorar uma característica minha (da minha personalidade, do mundo emocional, do intelecto), em melhorar o mundo ao meu redor, ou até mesmo em realizar um ato com total devoção e concentração; em todos esses casos eu já estou promovendo um ticun e reparando o mundo, pois estou realizando mudanças internas e/ou externas que estão trazendo mais qualidade para a existência.

29 respostas

  1. Puxa bem esclarecedor ,amei…e realmente me tranquiliza pois sempre imagino se estou no caminho certo da correção do meu ticun.
    Gratidão
    Shalom, Shalom.

    1. Rav, boa noite. Tudo bem? O Ticun na Astrologia Cabalística corresponde ao eixo formado pelos nodos norte e sul e que combinados dão “pistas” sobre o que a alma vivenciou no passado e as falhas que veio resolver nessa vida. Bem explanado em seu livro…que apenas são “pistas”, reforçando o texto do seu Blog.
      Um forte abraço.

    2. Boa tarde. Por favor me explica: qdo vc diz” reparos na alma” isso é antes de eu tomar a forma humana. Quer dizer então que minha alma foi criada com imperfeições e por isso precisa ser corrigida. Isso tem a ver com a queda de Adão?

      1. Olá, Catharina. Não é necessariamente antes de tomar forma humana. Reparos a fazer podem surgir depois de nascer neste mundo. No caso de serem reparos surgidos antes de você nascer, sim, eles surgiram com a queda de Adão.

  2. Obrigado, pela explicação, muito esclarecedora, no entanto tenho mais duvidas, se tenho uma correção a cumprir nesta vida, e não a cumpro, seria como reprovar na lição, isso não me impede de avançar ? mais ou menos como uma disciplina obrigatória me impede de passar para as outras disciplinas?

    1. BS’D

      Boker Tov!

      Rabino Yair Alon, Toda Rabá .

      Cada dia e um dia de cada vez,vivo trilhando pelo caminho do meio,

      Usufruindo do “livre arbítrio” de poder beber da Fonte do Conhecimento da TORAH.

      E tentando fazer o meu Tikun .

      Um beijo em sua linda alma.
      Toda Rabá sempre.

  3. BOM DIA ! MESTRE CABALISTA YAIR ALON NOSSA QUANTA SABEDORIA
    EXCELENTE CONTEÚDO DE MUITA LUZ E SABEDORIA ESPIRITUAL GRATO POR VOCÊ EXISTIR E COMPARTILHAR

    DANILO FREITAS DE ARAÚJO

  4. Eu nunca havia ouvido falar nessa palavra e mais uma vez aprendo algo novo e inspirador através de seus ensinamentos. Eu sei q foi justamente minha busca pelo meu Ticun(q hj sei nomear) que me trouxe a esse canal e tem sido um crescimento muito grande, sinto toda minha vida ter um sentido e minhas relações humanas e familiar tem se tornado muito melhores! Eu tenho vivido muitas coisas q não sei nomear e fico feliz em aprender aqui.
    Agradeço muito a H’shem por ter me conduzido até aqui !!

    Obrigada Yair !!

  5. Muito bom saber sobre ticum, o que é e trabalhar para realizá-lo, mesmo sem saber e/ou conhecer qual é o meu ticum. Vos aguardar o estudo mais avançado sobre ticum (e sem ansiedade – esse já estou procurando reparar). Muito obrigada, Rav. Yair por sua preocupação e disposição em nos ensinar e, dessa forma, também nos ajudar. Deus o abençoe!

  6. Bom dia Yair, muito bem explicado o Ticun. Acho que o meu ticum é muito voltado par a familia. espero descobrir outros. Shalom.

  7. Obrigada Yair Alon, disponibilizar este conhecimento. Creio eu que venho realizando meu “ticun”, na linha da minha ancestralidade, aguardo o próximo texto. Ótimo dia e tudo de bom!

  8. Olá professor, obrigada, gostei muito do texto e da sua explicação de ticun, ampliando totalmente a visão que tinha deste aspecto de minha vida e afastando também a relação que eu fazia com o carma. Valeu! Shalom!

  9. Que bacana, sempre pensei que nasci pra consertar vicios, habitos e padroes que nao me elevam, acho que sem saber acabei corrigindo algo. Gratidao pelos plavras de sabedoria e ensinamentos pra nossas vidas, por seu amor e carinho. As tuas palavras edificam.

  10. Boa tarde professor…gratidão pela partilha. Eu já conhecia a palavra, pois sigo uma psicológa que também estuda cabala, e ela sempre fala em melhorar nosso ticum. Mas a sua explanação foi bem didática e esclarecedora, como um Mestre ensina aos seus discipulos. Muito obrigada. Vou seguindo, caminhando, e melhorando um meu ticum. Shalom!

  11. ONG meu querido mestre sempre atencioso e suas explicações elevam nossa alma, este tema muito me agrada tento sempre esta me melhorando e tenho aprendido muito com o senhor agradeço sempre ao Eterno por sua vida pois através da sua vida e deste canal sinto diferente em tantas coisas que não saberia te explicar mais a cada dia vejo algo de bom se realizar em mim só tenho a te agradecer. Um dia sinto e quero te conhecer pessoalmente isto eu almejo de coração.

  12. Sempre me preocupei com isso. Fiquei estudando diversos modos para saber o que fazer em relação ao meu t ticun. Eu fiquei muito angustiada, pois ao fazer mapa astrológico e outros meios fiquei mais perdida. Somente atravês de meditações e outras práticas me desprendi e agora lendo este texto fiquei com mais certeza, que nem sempre,, ou quase sempre vale a pena saber.
    O melhor ainda é agradecer sempre os presentes do Eterno, pensar em praticar atos de bondade e procurar melhorar nossos relacionamentos.. ????????

    1. Não pensei que o tikkun estivesse relacionado com missão pessoal. Achei que fosse uma correção da queda do Adão. Mas afinal cada vz que fazemos algo capaz de melhorar o mundo ou melhorar a nós mesmos, reparamos o recipiente primordial que se estilhaçou , penso eu. Mt bom o texto. Obgd

  13. Maravilhoso o entendimento e esclarecimento uma pérola
    já fiz a tradução e compartilhe com os meus filhos.
    Muito Obrigada Rav

  14. excelente Yair, como sempre um aprendizado de excelência, que o Eterno seja sua inspiração a cada dia, pois foi o Eterno quem nos presenteou com sua existência.
    Abraço e tudo de bom.

  15. Tenho estudado este assunto de tikun. gosto muito.
    tenho interesse em ler mais sobre este tema. Bacana, saber a construção defendida pelo Luria, parece que facilita a conexão, ainda mais.

    Se você quer entender mais profundamente a lógica por trás da existência do ticun, busque o meu texto mais avançado sobre o tema (em breve).

    abraços e muito obrigada por tanto aprendizado que recebi pelos seus vídeos.

  16. Não posso negar que estou fascinada com tanta sabedoria. Gratidão imensa por compartilhar! S2

  17. Amo suas colocações e a forma clara que se expressa, sempre muito apropriada, escolhe os termos com a mais perfeita sintonia, quero dizer entre palavras e aprendizado. Então de forma única transmite ensinamentos. Agradeço sempre!!!!

  18. A potência máxima da cabalá é a sua expressão ética. Por isso sou muito apaixonado por ela. Entender do modo como o Rav Yair colocou, facilita muito o nossa compreensão. Concordo plenamente: não importa tanto saber da especificidade a minha correção, quando não sei com a exata precisão; isso não me impede de praticá-la com o uso ético nas nossas ações de pacificar, auxiliar, compreender, dividir com o nosso semelhante. Independente da especificidade de cada um, o seu trabalho de correção já está sendo realizado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros

Ideias mal colocadas
Blog

O problema das ideias mal colocadas

(Iniciante)   Pensar é um dos maiores dons que nós, seres humanos, possuímos. Graças a essa faculdade, conseguimos falar, iniciar ou manter um diálogo, e

O que faz uma pessoa mudar
Blog

O que faz uma pessoa mudar

(Iniciante) Uma famosa personagem de um seriado americano, o Dr. House, afirma categoricamente que as pessoas não mudam. Essa talvez não seja uma verdade assim

Sem mais postagens...